25 março 2018

ENTREVISTA INÉDITA

COM UM DOS PRINCIPAIS MILITARES DA OPERAÇÃO PRATO


O site operacaoprato.com publicou em 24 de março de 2018 uma importante entrevista com o suboficial da Aeronáutica Moacir Neves de Almeida, que durante a Operação Prato integrou a equipe do I Comando Aéreo Regional que investigou o fenômeno OVNI no Pará no ano de 1977. O site operacaoprato.com é parceiro do blog orbitador e tem prestado inestimável serviço de pesquisa e divulgação de documentos e informações inéditas sobre esse famoso evento ufológico. O orbitador convida seus leitores a lerem o artigo diretamente no site parceiro.

ACESSE O ARTIGO:

3 comentários:

Anônimo disse...

Prezado Helio e d+ amigos do site OP

Fiz alguns comentários acerca de seus arts.(destaques) do sítio OP, no entanto, o q + surpreendeu-me foi o estudo q vcs fizeram acerca do enigmático (agente) JAPONÊS (termo q Holanda usou "sem querer" ao referir-se ao militar q filmou seu famoso OVNI). Meus cumprimentos, vcs foram bem, principalmente o Helio.

Concernente a OP, inobstante a afirmação do editor (da famosa revista) q entrevistou o Sr. Holanda (in memoriam), q o assunto foi enterrado com os militares(já falecidos) q dela participaram, (pra mim) isso ñ esgotou(ou encerrou) o assunto, q inclusive o msm editor insiste em dizer q TDS eles já morreram, ñ creio nisso. O tempo é o senhor da razão, já dizia o ditado, então a cada dia q passa essa razão vai se confirmando.

Vc, grande Hélio, fez a melhor análise sobre os militares da FAB (de tds as divisões daquele braço armado) q estiveram presentes na OP. Claro, q jamais saberemos os nomes de tds eles, até pq foi uma operação complexa e ad+ SIGILOSA, porém vc acertou nos codinomes de um deles (Sgt Flávio), mas os d+ qdo conheceremos? Mas quero deixar um comentário deste famoso JAPONÊS.

Nos arts q vc compilaram, vcs falaram do CISA (antigo serviço de infs da FAB) e como eles poderiam t participado da OP, isso pode c vdd, a seção q Holanda e seus subalternos pertenciam (no antigo I COMAR) ñ era subordinada ao CISA, no entanto, COLABORAVAM entre si como uma rede de infs, isso vcs mandaram bem, então com ctz o CISA (q ficava em BSB no prédio do extinto ministério da aeronáutica) mandou alguém (ou alguns) ao PA munidos de equipamentos + sofisticados (filmadoras super 8 coloridas e com som, p.ex), e um desses pode t sido o misterioso JAPONÊS.

(Cont. na próxima msg)

Anônimo disse...

Em continuação, o quero afirmar: pode c q esse JAPONÊS seja o agente de codinome GEORGE. Essa premissa parte do q creio t sido inspiração p/ esse sujeito: na série "Jornada nas Estrelas" (muito popular à época p/ os adeptos da ficção científica), havia um personagem de nome "Hikaru Sulu", o oficial (tenente) responsável p/ navegação da nave, cujo interprete é o ator (ainda vivo) GEORGE TAKEI. Bem inferindo p/ esta hipótese q o tal agente ñ utilizasse um nome nipônico (ñ soaria bem) pode-se t utilizado o prenome do ator.

Isso posto, considerando este fato e vendo p/ este prisma (hipótese), este agente além de ser o cara da grande filmagem do Holanda, pode t sido o do CISA como tbm levou seus achados (descobertas) tbm p BSB (nos porões do extinto CISA). Outrossim, temos q atentar para a idade do indivíduo (podia c um dos + jovens à época).

No entanto, como afirmei isso é apenas uma hipótese, mas em td caso (como o Hélio bem observou) as filmagens ocorreram com uma certa intensificação. A única ctz q ñ temos (além da identidade dos milicos) é se o msm enigmático agente tenha participado das missões posteriores (desta x ñ oficiais).

(Cont. na próxima msg)

Anônimo disse...

Além disso, o Holanda naquela sua última entrevista deve t se empolgado p fato de sob seu comando a OP estar no vértice da investigação, com tanta concentração de recursos materiais e humanos (inclusive com agentes do CISA). É o êxtase de td Comte, ao v uma certa estima p/ seu trabalho; e claro com uma promoção à vista.

Concluindo esta msg, é muito difícil para nós civis, entendermos o universo dos militares. Vou mencionar 2 exemplos deste caso OP: ouvi 1 citação curiosa da médica de Colares q observava os militares tds os dias, mas Ñ VIA SEUS NOMES nas camisetas dos uniformes e o fato do editor da UFO (na famosa entrevista) falar (sem querer, óbvio) do Sgt Flávio e do JAPONÊS. No 1º caso, os militares da FAB (naquela época) qdo em missão operacional, utilizava (como até hj) fardamento semelhantes ao do EB, poderiam t usado apenas a camisa de dentro (q pode t sido p/ causa do calor do ambiente amazônico), esta só estampava o brasão da FAB (espada alada) no meio, então ñ tinha como um civil saber os seus nomes. E no 2º, do AG da UFO, com ctz ele ñ tinha noção do trabalho de equipe dos militares e seus sigilosos serviço de infs. da época (cada braça das FA tinha um).

Um abraço a tds, e q UM DIA SAIAM O RESTANTE DO FALTA DESSA OP.